5 formas fáceis de melhorar o listening hoje mesmo

Então você chegou nesse ponto. Você já tem um vocabulário razoável, ou às vezes, até um vocabulário muito bom. Ler e escrever são coisas ok pra você, e mandar email parece até fácil. Mas aí te ligam. Ou a legenda do filme deu problema. Ou te chamam de última hora pra aquele call. Ou você está viajando com alguém que não fala inglês e virou última esperança na tour pela cidade gringa. É aí que você percebe que o ouvido não tá lá aquelas coisas. E agora, como melhorar o listening?

Calma, para tudo existe uma solução. E a gente está aqui para te ajudar com 5 formas fáceis de melhorar o listening hoje mesmo!

O listening (ou compreensão auditiva) não é das habilidades mais fáceis. Envolve conhecimento em pronúncia (mesmo que inconscientemente), em vocabulário, capacidade de fazer associações, compreensão de micro e macro (as pequenas partes da mensagem, e a mensagem principal, sabe?)… enfim, diversas habilidades se fazem necessárias para uma boa compreensão do inglês falado. Também vale lembrar que o inglês falado e o inglês escrito são coisas bastante diferentes.



Você não está [email protected] querendo melhorar o listening


Depois de anos ensinando inglês para adultos, posso te garantir que o listening é uma das maiores dificuldades dos estudantes brasileiros. E todo mundo quer melhorar o listening. Diversos motivos podem ser apontados como causa: falta de contato, nervosismo, a pressa em aprender, os áudios pouco realistas dos materiais disponíveis nos cursos e, finalmente, o sotaque.



Explorando alguns dos problemas


Para maioria de nós, é muito mais fácil nos deparar com inglês escrito do que com inglês falado. Os chats do jogos são primariamente escritos (apesar desse cenário estar mudando), encontrar um gringo caminhando na rua não é das tarefas mais fáceis (e você não vai chegar puxando conversa out of the blue, né?), e nós somos bombardeados por emails e postagens em inglês o tempo todo. No fim, o inglês falado costuma precisar de um tempo dedicado somente a ele, enquanto o inglês escrito simplesmente aparece na nossa frente. Há soluções como músicas e Netflix, mas a gente vai falar delas mais pra baixo!

O nervosismo não facilita. Sabe aquela sensação de desespero que já aconteceu com todo mundo ao começar a se perder em um diálogo? Pois é. Quando você se desespera, você começa a focar em cada palavra, e deixa a mensagem final pra lá. No fim, você não entendeu nada.

Vamos lembrar que a pressa é inimiga da perfeição. Aprender uma língua demora. Dá para aprender alguma coisa em cursos elaborados para serem rápidos (os chamados ESP, ou inglês para fins específicos), mas esses cursos são feitos para ensinar um determinado cenário e somente ele. Essa história de fluência em 6 meses é besteira. Sorry to say. Então, você não deve se frustar por estar estudando há um tempo razoável mas ainda enfrentar dificuldades. É normal!

Os livros também não colaboram ao frequentemente usar um inglês distante do inglês real em seus áudios. Existem alguns motivos por trás disso, como a ideia de criar um ambiente controlado para análise de estruturas específicas, mas o ideal é que você e seu professor usem esse material em conjunto com materiais reais. Thank goodness, já existem diversos materiais que trabalham com áudios reais ou próximos do real. Essa é uma preocupação recorrente para nós, professores!

Leia também:  Inglês online, presencial ou os dois?


But the Oscar goes to…


Finalmente, o sotaque. O inglês já ganhou o status de Língua Franca. Isso quer dizer que o inglês é a língua padrão para comunicação internacional, seja com nativos ou não.

Pense nesse cenário: você está viajando pela a Itália por uma semana. Lá, você conhece um chinês que também vai ficar pouquíssimo tempo por ali. Chances are que vocês não vão falar em italiano, mesmo sendo a língua oficial de onde vocês estão. Vocês vão acabar conversando em inglês. Pode ser um inglês um pouco atribulado, com sotaque fortíssimo dos dois lados e palavras truncadas, mas, mesmo assim, inglês.

Não importa onde você esteja, a primeira língua que as pessoas tentam quando vão se comunicar com alguém que não fala a língua delas é inglês. Isso acaba criando uma quantidade quase que infinita de sotaques, possibilidades e situações que divergem entre si por conta do vocabulário, da língua materna e da proficiência de quem está falando. E é o seu listening que vai te ajudar ali.



As 5 formas de melhorar o listening


Agora você já entendeu o cenário (um pouco caótico), e já se conformou que a culpa não é necessariamente sua, vamos partir para a ação. Como tudo nessa vida, melhorar o listening requer esforço e não existe fórmula mágica. O que existe é o seu esforço e a sua vontade real de aprender. Lembre-se: você é o maior responsável pela sua aprendizagem. Sem você, você não vai a lugar algum!



1 – Foque na mensagem, não nas palavras isoladas


Quando se trata de comunicação verbal, boa parte da mensagem a gente só acaba entendendo depois que a outra pessoa terminou uma ideia. Isso se faz mais presente ainda quando você está se comunicando em uma língua que ainda não domina.

Por exemplo, se a pessoa dizer algo como “Could you please take a glass of water for me?”, você não deve travar no “could” só porque você não sabe do se trata. Continue prestando atenção e verá que a mensagem importante, no fim das contas, é “take / glass / water“. O “could you please” demonstra que é um pedido educado, mas não necessariamente muda a ação final que você deve tomar. Então, se você não entender uma palavra, simplesmente pule e tente entender o resto! Das duas, uma: ou você vai entender o contexto, e aquela palavra que faltou vai fazer sentido, ou você vai precisar pedir para a pessoa repetir aquela palavra. Na maior parte das vezes, é o primeiro cenário que acontece.



2 – Estude connected speech


Como eu disse, nada bom vem fácil. Então, estudar is a must. E connected speech é uma coisa bastante trabalhada em cursos, mas você mesmo pode ir além e estudar por conta própria. Para simplificar, connected speech é uma característica do inglês falado em que as palavras são unidas, na fala, como se fossem uma palavra só. Por exemplo: A frase “We must teach connected speech!“, soa como “we musteach connected speech!”.

Em terra de connected speech, quem linka é rei: se você tem uma palavra que termina com o mesmo som, ou um som muito próximo do começo da próxima palavra, as duas se unem para formar uma (sounds romantic, doesnit?). O mesmo vale para palavras terminadas com sons de consoantes seguidas de palavras que começam com sons de vogal (como “doesn’t it?”, que vira “doesnit?”).

Leia também:  3 ferramentas gratuitas para uma boa reunião online (ou aula online!)

Minas gerais curtiu isso.

Uma simples pesquisa no YouTube retorna centenas de videoaulas sobre o tema. Dedique seu tempo para praticar connected speech pelo YouTube e peça para seu professor te ajudar (caso você tenha um). O segredo é falar sozinho ou sozinha mesmo!



3 – Lembre-se de trechos


Assim como português, o inglês se repete em diversas situações. Por exemplo, quase sempre que você pedir algo em um restaurante, o garçom (waiter), ou a garçonete (waitress) vai te perguntar se você quer algo a mais.

“Would you like anything else?” (você gostaria de mais alguma coisa?)
“Yes, I’d like a…” / “No, thank you”
(sim, eu gostaria de um… / Não, obrigado)

Ou, quando você entra em um táxi (digamos que você esteja sem internet e não possa pedir no aplicativo), a pergunta provavelmente vai ser:

“Where to? / Where would you like to go?” (para onde você quer ir?)
“I’d like to go to (…)” (eu gostaria de ir para…)

Esses trechos são quase que convenções sociais, e se repetem o tempo todo, porque a situação assim pede. Não se apegue ao porquê da ordem das palavras, ou regras gramaticais mais elaboradas. Pelo menos, não agora. Apenas lembre-se que é assim que fala e ponto. Quando você já sabe o que esperar de uma situação, é mais fácil você entender o que está acontecendo, mesmo que uma palavra ou outra fique de fora.

Esses trechos que se repetem são facilmente encontrados nos livros do curso, e aqui na Flipping It, nós trabalhamos bastante com eles. Mas você pode ir além e fazer um exercício absurdamente simples: pegue uma situação que você achou interessante e veja o que as pessoas falam. Pode tirar de filme, série, podcast, qualquer coisa. Se você ver alguém pedindo direção para algum lugar, volte a cena e ouça como foi feito o pedido, e como foi dada a resposta. Se você ver alguém se apresentando ou apresentando um tópico em uma TED, volte a cena e preste atenção em com isso foi feito. Se você não conseguir entender tudo, lembre-se da dica 1. Vale também usar a legenda em inglês.



4 – Abuse da legenda em inglês e faça esta atividade com ela


Essa dica é pra você que consegue ler razoavelmente bem (ou muito bem), mas se enrosca no listening, por que não usar o que você sabe para resolver o que você não sabe?

“Então você está me falando para por uma legenda em inglês para treinar meu listening? Eu não deveria só ouvir?”

Calma. Como eu disse antes, o inglês falado e o inglês escrito são bastante diferentes. Mas como você já tem uma certa facilidade em um, você pode melhorar o outro usando esse um.



A atividade


Aqui, vamos nos valer de vídeos novamente (ou de áudios, mas é mais fácil só dar um pulinho no Ted Talk ou na Netflix mesmo). Quando você ouve uma palavra que você consegue ler, você começa a associar o som ao texto. Como o texto você já conhece, unir o som ao que você está lendo facilita horrores o entendimento. However, here’s the catch: não vale a passar a vida toda procurando legenda. Na vida real, a gente ainda não vem com subtitles. Então, faça o seguinte:

Leia também:  Como aprender a falar inglês naturalmente


1 – Assista a um trecho sem legenda nenhuma. Um trecho curto mesmo, coisa de 3, 4 minutos. Lembre-se de focar na mensagem inteira e entenda o máximo que der.

2- Volte esse trecho e coloque a legenda em inglês. Preste atenção dobrada no som das palavras que você não tinha ideia da primeira vez.

3 – Anote essas palavras, e escreva a pronúncia dela do lado (se você não sabe IPA, não tem problema, vale anotar /yór neim/ pra “your name”)

4 – Repita essas palavras isoladamente em voz alta. Encare seu celular ou computador, olhe no fundo do olho dele e fale. Fale mesmo, como se não houvesse amanhã. Quando você sentir que ficou parecido com o que você ouviu, siga para a próxima.

5 – Volte o trecho inteiro e repita tudo em voz alta. Tente fazer sua voz ficar o mais próximo possível da voz do vídeo. Copie a entonação, as palavras linkadas e aquelas palavras que foram novas para você.

6 – Faça isso diversas vezes com diversos vídeos diferentes. Como toda atividade, fazer uma única vez não basta. Faça e refaça essa atividade diversas vezes. Com o tempo, vai ficando mais fácil de ouvir e, de quebra, você ainda ganha facilidade na fala enquanto aprende a melhorar o listening.



5 – Músicas com letra


Finalmente, a nossa última dica (por hoje). Boa parte de nós passa horas ouvindo música. Seja no metrô ou no carro, a gente costuma deixar alguma coisa tocando. Se você quer mesmo melhorar o listening, você deve transformar essa música de fundo em algo ativo. Chega de embromation, chega de só deixar tocar. Uma das formas mais simples de melhorar o listening é com músicas e suas respectivas letras. Da mesma forma que acontece com vídeo, quando você lê a letra enquanto ouve, você passa a associar o som ao texto.

As vantagens da música é que ela não leva tanto tempo quanto os vídeos, o ritmo gruda e, num geral, você já conhece. A gente já até fez um post com uma música por aqui, e você pode começar por ela.

Então, já separe aquela música que você gosta e já parta para o AzLyrics e decore essa música! Música decorada é música aprendida. Assim como andar de bicicleta, há grandes chances de você lembrar da música pro resto da sua vida.



That’s it for today, folks!


É claro que existem outras dicas para melhorar o listening (como, por exemplo, estudar na Flipping It). Lembre-se que as quatro habilidades básicas (readingwriting, speaking e listening) andam juntas, e uma ajuda a outra na hora de aprender.

Se você quiser mais dicas, é só mandar essas aqui pra todo mundo que você conhece. Quem sabe nós não criamos uma nova lista com mais dicas?

Então, já escolha uma das formas aqui embaixo e mande essa lista pra todo mundo que você conhece!

Good luck e bons estudos! 😀

Quem leu este texto, também leu...

Curtiu? Compartilhe!

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

Deixe seu comentário!

Fica, vai ter bolo! E um ebook com...

5 dicas para criar um currículo em inglês!