Como encontrar tempo para estudar inglês

Vamos começar sendo diretos: todo mundo tem 24 horas no dia. Então, tempo para estudar, você tem. A questão é: o que você faz com ele? Em um mundo conectado, somos estimulados a gastar o nosso tempo com um milhão de coisas ao mesmo tempo. Quem nunca se pegou olhando o Instagram enquanto deveria responder um email? Ou, enquanto esperava alguém terminar de digitar, abriu outro aplicativo e, quando viu, passou horas ali? Pois bem. Talvez, o problema não esteja no relógio. O problema pode estar nas suas prioridades.


Ah, a gente não é coach que fala que você tem que “trabalhar enquanto eles dormem”, tá? Existem casos e casos, e eu também chego domingo querendo só minha cama. Mas tá aí uma vantagem IMENSA do curso da Flipping: 15 minutos por dia já bastam. Mas vamos falar de prioridades:.


“Mas você não conhece a minha rotina…”


Exatamente. Por isso, vou mostrar a minha (que muda do dia pra noite):

6h até 7h: Acordo. Um tempo para sair da cama, outro para lavar a cara, comer alguma coisa leve, escovar os dentes, por uma roupa.

7h até 8h: commuting. É o tempo médio que eu levo da minha casa para o escritório ou para a maioria dos meus alunos;

8h até 10h: aula presencial;

10h até 11h: commuting. De novo, o tempo médio para ir dos meus alunos até o escritório ou de volta pra casa (nas raras vezes que quero fazer home-office);

11h até 11h30: café da manhã (!!!!!!!!!!!!);

11h30 até 14h: Tarefas importantes e urgentes. As atividades aqui variam de dia pra dia. Tem dia que estou respondendo email, ou fazendo reunião, ou escrevendo no blog, ou fazendo postagem para rede social, ou gravado aula (…). Num geral, as tarefas “importantes” e “urgentes” ficam aqui. Começo das urgentes e vou “descendo” para as importantes;

14h até 14h30: almoço (às vezes…);

14h30 até 18h: Tarefas importantes mas não urgentes. De novo, o que vou fazer varia de dia para dia, de projeto para projeto. Mas tudo o que não tem uma “data” pra ser entregue (ou tem um prazo maior), eu faço aqui;

Leia também:  3 exercícios em inglês para aprender com música

18h até 20h: esse é meu horário meio “livre”. Ou uso para estudar alguma coisa, ou para continuar o que eu não consegui terminar no bloco anterior. Costumo colocar reunião com aluno ou com professor nesse horário, especialmente quando é online. Às vezes, até janto!

20h até 22h: aula (online);

22h até 23h: ligo a TV, esfrio a cabeça e geralmente durmo antes de terminar o primeiro episódio de qualquer coisa que a Netflix decida passar.



Resultado


Como você já viu, minha rotina está longe de ser das mais tranquilas, afinal, começo às 7h da manhã e só paro às 10h da noite. Assim, são cerca de 6 horas e meia de trabalho administrativo, mais cerca de 4h dentro de sala de aula. Sem contar a preparação para as aulas, já é uma carga horária diária de trabalho de 10 horas. Coloque 2 horas no trânsito de São Paulo e passo 12 horas do meu dia totalmente voltado para trabalho.

Isso quando a agenda não vira de ponta cabeça por imprevistos com alunos (remarcação de aula, alteração de horário). Não é das mais ideias também, afinal, eu decidi matar o work-life balance. Escolha minha. Porém, mesmo assim, dou conta de ser professor, revisor, diretor da Flipping It, treino professores, leio meus livros, ouço minhas músicas, dou conta da família, vejo meu netflix, jogo World of Warcraft, ou LoL, ou qualquer coisa, (mais do que deveria) e, recentemente, decidi encarar Espanhol.



As prioridades


Você viu ali em cima como eu marquei em itálico “importante” e “urgente”? Pois bem. Todo mundo começa com 24 horas – é você quem decide o que fazer com elas. Enquanto criar tempo (um dia de 36 horas seria ótimo, não?) for contra as leis da física, nos resta rever o que nós definimos como importante e urgente. Pense no seu dia a dia: será que abrir o Instagram enquanto uma página carrega é realmente importante? Responder aquele email é realmente urgente? É isso que veremos agora:

Leia também:  Como escolher a melhor metodologia de estudo para você?

Essa é uma matriz básica para você definir as suas prioridades. Como já falei, você não vai criar tempo, pois isso não existe. Você vai redefinir as suas prioridades. Sendo assim, pense com você: quão importante é “aprender inglês” para você? Se, para você, estudar inglês é o que você faz “só quando já acabou tudo”, sinto lhe informar: você nunca vai acabar tudo.

A sua única saída, então, é definir de uma vez inglês como prioridade. Do contrário, você vai acabar estudando 1, 2, 10 anos e não vai conseguir ser fluente. Aquela história de “só aprende que mora fora” é mentira. A verdade é que só aprende quem coloca inglês como prioridade.



Como encontrar tempo para estudar


Vamos seguir o quadrante ali de cima: Importante & Urgente, Importante & Não Urgente, Não Importante & Urgente, Não Importante & Não Urgente. Para você enquadrar as suas coisas no quadrante, você vai precisar para alguns minutos (eu costumo levar uns 10 minutos, no começo do meu dia) para definir o que vai onde. Deixa eu te explicar:

Importante & Urgente: São as tarefas que agregam valor ou geram resultado imediato. Por exemplo, mandar um contrato para algum cliente assinar, ou rever o conteúdo antes de uma prova (de inglês).

Importante & Não Urgente: São as que agregam valor ou geram resultado, mas que não necessitam que você resolva neste momento. Estudar para a próxima aula, ou pensar na elaboração do seu projeto de inglês, como os alunos da Flipping It, são de suma importância. Porém, a não ser que sua aula seja agora, você pode deixar para mais tarde ainda hoje. Sendo assim, você tem uma tarefa importantíssima, que deve ser feita, mas que não precisa ser resolvida neste momento. O meu espanhol fica exatamente aqui: todo dia, separo 25 minutos para ele. Mas pode ser antes ou depois daquela agenda de cima.

Leia também:  Inglês com música: comece agora seguindo o passo a passo!

Urgente & Não Importante: São as tarefas que precisam ser resolvidas neste momento, mas que não geram resultado ou acrescentam valor. Enviar um arquivo que alguém está te pedindo, dar uma força pra pessoa trabalhando do seu lado e que está com problemas com Windows (eu mesmo) fica aqui. Dependendo, você pode até delegar essas tarefas para alguém, se você puder.

Não Importante & Não Urgente: o próprio nome já diz. São as tarefas que não precisam ser feitas agora, e nem vão te dar algum retorno. Adivinha onde ficam as redes sociais ou aquele áudio de 3 minutos que aquele seu amigo que tem preguiça de digitar mandou? Exatamente: em prol do seu inglês, você pode sacrificar o áudio de 3 minutos.

Note que o é importante e urgente para uns, não é para outros. Para mim, mandar um contrato é urgente e importante. Para quem recebe o contrato, que vai precisar parar para ler, é importante, mas não costuma ser urgente.



I’ve sacrificed everything. What have you given?


Percebeu que, no fim das contas, não é uma questão de tempo, mas sim de prioridades? Nós vivemos com um milhão de coisas na cabeça o tempo todo, e várias delas são coisas que precisamos fazer. Se você quiser aprender alguma coisa, você vai precisar colocá-la na sua agenda. E tempo para isso não vai cair do céu: você precisa sacrificar algumas coisas, em prol de outras, mais importantes. Se o inglês for realmente importante para você, entenda que o seu dia não vai ganhar 25 horas. Ele vai continuar com 24 horas. É você quem vai decidir o que fazer com elas.

Então, é hora de você partir para a ação. Inicie seu dia pensando no que você tem que fazer, e divida as suas tarefas usando o quadrante de prioridades ali em cima. Pode imprimir e colocar na sua mesa. Então, use post-its para encaixar as suas tarefas. Fica aí minha dica. 😎

Quem leu este texto, também leu...

Curtiu? Compartilhe!

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

Deixe seu comentário!

Fica, vai ter bolo! E um ebook com...

5 dicas para criar um currículo em inglês!