Inglês com música: comece agora seguindo o passo a passo!

Eu te entendo. Nas aulas de inglês, até tive um pouco de inglês com música, mas eram só músicas “razoáveis”. Aparentemente, nenhum professor de inglês gostava da minha banda favorita de power metal alemão que canta em inglês. Um absurdo. Hoje, tem os amantes da Netflix. A essa altura da minha vida, acho legal até, mas bate aqui se você também não consegue ficar hoooooras parado na frente de uma tela… mas as trilhas sonoras… ah, a vida seria ótima se fosse um musical da Broadway.

YAS.

Assim como tudo na vida, nem todo mundo aprende inglês da mesma forma e, vamos ser sinceros? Às vezes, a gente só quer se divertir um pouco (cuz girls, they wanna have fun!). E é exatamente por isso que eu gosto tanto desse assunto de inglês com música. Afinal, se sou professor há tanto tempo, eu devo MUITO disso às músicas que ouvia quando era pequeno e aos meus amigos de escola que riam da minha cara quando eu cantava errado me incentivavam sempre a cantar direitinho. Um abraço para vocês, sem remorso.

Mas só uma música? Só uma música

A questão de aprender inglês com música, inclusive, vai além de ser divertido. Música fica na cabeça. Você pode não gostar, mas eu tenho certeza que ainda lembra das músicas do Exaltasamba de 95. E o mesmo vale se a música for em inglês, obviamente (Praisesamba?).

Back in the day, não existia internet com letras de todos os ritmos, então era bem comum a gente ter um CD (!) com meia dúzia de músicas e um encarte com as letras. E esse CD era repetido à exaustão. Até. Você. Não. Aguentar. Mais. Ouvir. Bring me to life. E é um disso que vamos falar aqui, com uma (das várias) forma de aprender inglês usando música: cantando numa língua que você não domina usando drilling.

Esse post vai ser bem pessoal, pois foi assim que eu consegui aprender boa parte do que sei hoje. Depois da música, claro, vieram os cursos, graduação em tradução, o intercâmbio, o curso no exterior, a pós graduação em língua inglesa, os anos de experiência. Mas o começo sempre foi e sempre terá sido na música. Note que esse “fluxo” é para você fazer [email protected].

Leia também:  O que acontece quando você começa a aprender inglês ou outro idioma?

Passo 1: ouça bem

Como eu comentei ali em cima, música exige treino. E a letra dela só vai entrar na cabeça se você treinar. E para treinar, você vai ter que ouvir no repeat algumas vezes. Então, pegue aquela música com a qual você está juntos e shallow now, ligue o repeat e deixe ela rodar. No começo, só preste atenção em alguma parte que te chame a atenção mesmo, sabe? Pegue a sua parte preferida da música e transforme em um desafio. E vá para o passo 2.

Passo 2: atenção à pronúncia

O desafio pessoal que você criou no passo 1 entra em ação agora. Só que: não adianta ouvir no enrolation. Pegue a letra em qualquer site (eu gosto do Azlyrics) e antes de você pensar em cantar junto, foque nos sons. Você já deve saber que o inglês escrito e o inglês falado são praticamente 2 mundos diferentes. Então não adianta ficar lendo só – e nem só ficar ouvindo sem entender nada.

Uma coisa que eu sempre falo para meus alunos prestarem atenção quando estou usando música em sala é o aclamado link entre as palavras. Por exemplo: uma palavra que termina com som de consoante seguida por uma com som de vogal “vira” uma palavra só.

“Once I” (/uãns/ /ai/, ou /wʌns/ /aɪ/ para fãs de fonética) soa como “uãnsai”, uma coisa só. Em música, o que mais existe é link entre as palavras. Pegue o seu desafio pessoal e preste atenção na pronúncia e nos links entre as palavras naquele trecho que você escolheu!

Passo 3: duble (só um pedacinho, por enquanto)

Já diziam as más línguas: the time has come for you to lipsync for your life. Agora que você já prestou atenção em tudo o que conseguiu daquele trecho, simplesmente volte a música, e vá ouvindo até chegar na parte que você escolheu. Assim que chegar, abra a letra de volta e cante usando TUDO o que você conseguiu reparar no passo anterior. Repita os links, a pronúncia que você ouviu com as palavras que você está lendo, a intonação… simples, né? Não.

Leia também:  Um segredo sobre inglês fluente que você precisa saber

Você vai errar 1, 2, 3, 4, 5… e vai voltar a música 1, 2, 3, 4, 5 vezes, ou até mais. Não tem só a ver com inglês na música, tem a ver com a música per si também. Leva um tempo até a gente decorar todos os tempos, e batida e etc. E está tudo bem. Tente de novo, se errar alguma parte do trecho que você escolheu (note como eu não estou pedindo para você fazer a música toda: estou falando para você fazer o trecho que você escolheu!). Fique com a letra numa mão (ou aba do navegador) e o controle de voltar da música na outra. Continue até conseguir cantar o mais próximo possível com a letra na mão.

Passo 4: duble sem a letra

Agora, vamos subir o passo 3 um pouquinho só: faça a mesma coisa, mas sem a letra. Force a sua memória a lembrar do que leu e do que ouviu. “Ah, mas eu esqueço”. Tente de novo. E de novo. Tudo o que vem fácil demais, vai embora fácil demais – lembra o que falei sobre música ficar com você para sempre?

Eventualmente, aquele trecho – e por isso é importante que seja só um trecho – já está tão “automático” na cabeça que você está cantando sem você perceber, assim como acontece com qualquer música em português que você já saiba. Sendo assim, vá aumentando o trecho até conseguir cantar a música inteira sem letra.

Passo 5: dê o seu próprio feedback

Agora vem uma parte que vááárias pessoas morrem de vergonha, mas que é quase tão importante quanto o resto: grave a sua própria voz cantando. Se for o caso, se tranque em um quarto para isso.

O motivo por trás disso é simples. Feedback é extremamente importante, e, a não ser que você tenha um professor com você, é você quem terá que se dar o próprio feedback. E uma das formas mais simples é gravando sua voz, e deixando ela passar por cima da música. For the sake of this exercise, você não deve se preocupar se está afinado, se o grave está bom, ou se o agudo lírico ficou impecável. Você irá analisar se a sua PRONÚNCIA está próxima da pronúncia da música. Confira se você não mandou um “a” quando era “o” ou coisas do tipo. Gravar e se ouvir facilita muito esse trabalho. Se você puder, mande para algum amigo ou professor que você conheça. Um feedback externo é muito bacana!

Leia também:  Como encontrar tempo para estudar inglês

“Tudo isso para abrir uma letra e ler?”

Em palavras diretas: não. A maioria das pessoas, quando procura a letra de uma música em uma língua que não domina (isso quando procura) vê a letra uma vez e fica por isso. Acaba passando o resto da vida com o “enrolation” na cabeça.

Os 5 passos acima descrevem um exercício de drilling, que ainda usamos tanto nas salas de aula. A questão é que, por conta do tempo reduzido em sala e da necessidade de comunicação real sendo mais imediata do que o tempo que os alunos disponibilizam para estudo, muitas vezes os drills passam batido nas salas.

Por ser um exercício simples de ser feito com música, o tal “abrir uma letra e ler”, se feito da forma correta, prestando atenção aos sons, à intonação, fazendo o máximo de esforço possível para repetir o que ouve da forma que ouve e dando o seu próprio feedback ao fim (ou o feedback de outra pessoa, melhor ainda!), é uma ferramenta poderosíssima de aprendizagem que você pode fazer agora mesmo. E de graça. De quebra, você ainda detona no karaokê depois.

Claro que tem mais

Obviamente, um exercício de drilling repetido à exaustão não irá te ensinar inglês em toda a sua plenitude. Irá te dar uma boa força, mas não é o suficiente. Se você realmente quiser aprender e ir cada vez mais longe – com música, com material online somado ao presencial, com a sua necessidade trazida para o centro do curso – você pode nos mandar uma mensagem para conversarmos sobre um curso de inglês feito especialmente para você. É só nos chamar no WhatsApp ou email dentro do nosso FALE CONOSCO!

Quem leu este texto, também leu...

Curtiu? Compartilhe!

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter

Deixe seu comentário!

Fica, vai ter bolo! E um ebook com...

5 dicas para criar um currículo em inglês!